UNICEF, CDJBC e Governo do Estado lançam Campanha “Vá Sim, Vacine!” em Sergipe

0
168

Campanha pretende combater desinformação sobre vacinas para contribuir com a elevação da cobertura vacinal de crianças e adolescentes em todo o país

“Vá sim, Vacine! – Ame, proteja, vacine nossas crianças”. Esta é a mensagem que a campanha educativa lançada nesta quarta-feira, 14, em Sergipe, pretende levar a toda a população como forma de contribuir com a elevação da cobertura vacinal. A campanha, que ocorre em paralelo em todos os estados do nordeste e no território Amazônico, integra a estratégia do Selo UNICEF, uma realização do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), implementado em Sergipe pelo Centro Dom José Brandão de castro (CDJBC). Em Sergipe, a campanha conta com o apoio do Governo do Estado.

“É preciso ter a vacina disponível todo dia na unidade de saúde, porque todo dia é dia de criança se vacinar. Mas é também cada vez mais necessário que a população entenda os riscos que submetemos nossas crianças ao privá-las da imunização”, destaca a especialista em saúde do UNICEF, Tatí Andrade. “A ausência de vacinação de nossas crianças está trazendo de volta doenças que já haviam sido erradicadas no Brasil e que podem causar graves consequências como surdez, paralisia, comprometimento neurológico, e até a morte”, alertou a pediatra.

Em Sergipe, a cobertura da vacinação contra a Pólio chegou a 79,13%, em outubro de 2022, após a realização do “Dia D de vacinação” nos 75 municípios sergipanos pela Secretaria de Estado da Saúde.

A coordenadora do Selo UNICEF em Sergipe Bahia e Minas Gerais e coordenadora de projetos do CDJBC, Joilda Aquino, destaca que apesar de haver oferta das vacinas, a cobertura vacinal em Sergipe ainda está bem abaixo da recomendada pelo Ministério da Saúde, que é de 95%. Ela avalia que um dos fatores que mais tem impactado na queda das coberturas vacinais é a desinformação. “Passamos por momentos difíceis, marcados por intensa desinformação, que acaba gerando falta de credibilidade nas vacinas.”, lamentou. Para ela, a melhor arma para a desinformação é a comunicação de massa. “E neste sentido, a campanha “Vá sim, Vacine” vem cumprir importante papel”, completa Joilda.

A iniciativa tem o objetivo de oferecer às gestões municipais e suas equipes peças de comunicação que possam ser reproduzidas, impressas e compartilhadas para sensibilizar a população sobre a importância da vacinação. O material pode ser reproduzido e impresso por prefeituras e outros órgãos interessados, sem necessidade de autorização de uso de imagem. Todas as peças estão disponíveis no site do Selo UNICEF www.selounicef.org.br

Apoio do Governo de Sergipe

Em Sergipe, a campanha ganhou o reforço do Governo do Estado, que agregou em torno da ação as Secretarias de Saúde, Assistência Social e Cidadania e Educação. A proposta é construir de forma integrada ações não apenas para garantir que haja vacina, mas que a vacina chegue efetivamente às crianças.

Neste sentido, o Secretário de Estado da Saúde, Walter Pinheiro, garantiu que a pasta colocará o tema da vacinação infantil como uma pauta prioritária. “Nós temos a responsabilidade de traçar programas e estratégias do ponto de vista prático e operacional para garantir que a vacina chegue mais perto da população, para que sejam criadas e ampliadas as portas de entrada para vacinação, para que sejam feitas buscas ativas com caráter educativo”, destacou o secretário.

A Secretária de Assistência Social e Cidadania, Érica Mitidieri, apontou que o papel do estado é ajudar os municípios a incentivar a vacinação, e que a ação conjunta entre as diversas áreas do governo auxiliará na elevação das coberturas vacinais. “O governo de Sergipe está muito perto dos municípios e se coloca disponível para fazer este trabalho de reforço e de contribuição junto às gestões municipais, seja por meio da Secretaria de saúde, mas também com a Secretaria de Assistência Social e de Educação, para que possamos não apenas aumentar os índices de imunização, mas para chegarmos em todas as crianças do nosso estado”.

O Secretário de Estado da Educação e Cultura, e vice-governador de Sergipe, assegurou que a Campanha ganhará reforço nas unidades de ensino, que se constituem em um espaço de convivência e, consequentemente de contágio de doenças. Entre as medidas destacadas, ele inclui “a exigência de apresentação do cartão de vacinação em dia no ato da matrícula, mas também a promoção de ações dentro das escolas para garantir a saúde das nossas crianças, mas também dos seus familiares”.

Combate à desinformação

Sobre as falsas informações de que as vacinas apresentam riscos à saúde, Tati Andrade esclarece que os órgãos e profissionais de saúde fazem muitos testes antes de aprovar uma vacina e que há um sistema minucioso de acompanhamento de possíveis efeitos colaterais para evitar qualquer risco à segurança das pessoas. “A minha orientação é que as pessoas procurem os serviços de saúde e conversem com os profissionais especializados. Observe as evidências, não siga conselhos que não possuem fundamentos científicos, para que sua família esteja sempre protegida”, orientou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui